ENCONTRO DE PRIMAVERA EM VIGO

04-05-10

No próximo domingo dia 9 de Maio Agarimar celebramos em Vigo o Encontro de Primavera. Aproveitando a Festa dos Maios que se celebra na zona velha elaboramos o seguinte programa para o encontro:

DOMINGO 9:
10h30: Chegada ao Espaço para a criança Folhas Novas -Agarimar- (Rua Real, 12)
11h00: Conta-contos sobre a festa dos Maios, obradoiros de cestaria, colares e animaçom de rua na Praça da Vila.
13h00: Os Maios com Servando no Espaço para a criança Folhas Novas -Agarimar-.
14h00: Jantar na Escola Popular Galega.
15h30: Assembleia para a auto-organizaçom e debate.
17h30: Entrada dos Maios convidados na Praça da Vila.
18h00: Festa dramatizada dos Maios da zona velha.
19h00: Concerto de "Tanto nos Ten".

Esperamos-vos a todas e a todos, e lembramos a necessidade de vestir de branco dentro das possibilidades de cada quem.

Escrito às 12:02:34 nas castegorias: Encontros
por agarimar Email , 133 palavras, 325 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
EXPOSIÇOM, PROJECÇOM E PALESTRAS NA CORUNHA

20-04-10

Na vindoura terça-feira, 20 de Abril, às 19h00, na Escola de Artes e Superior de Desenho “Pablo Picasso” da Corunha (Rua dos Pelámios, nº 2), terá lugar a inauguraçom da Exposiçom sobre as Pedagogias Libertárias que está a organizar a Confederaçom Geral do Trabalho (CGT) da Corunha.
A exposiçom fai parte das Jornadas sobre Pedagogias Libertárias que contarám com os seguintes actos:

    * Conferência do reconhecido historiador Eliseo Fernandes sob o título “A Escola Racionalista na Galiza” (o dia 22 de Abril, às 19h00)

    * Projecçom do documentário de Adolfo Dufour "Viva a Escola Moderna"  que será seguida de umha palestra-debate sobre "Ferrer i Guardia e as pedagogias ánti-autoritárias" (o dia 23 de Abril, às 19h00).

Escrito às 02:15:01 nas castegorias: Atividades
por agarimar Email , 112 palavras, 371 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
OBRADOIRO DE CANTIGAS, RIMAS E JOGOS MUSICADOS

19-04-2010

No passado 9 de Abril transcorreu no Espaço para a criança Folhas Novas -Agarimar- de Vigo o primeiro dos obradoiros de cantigas, rimas e jogos musicados impartido polo sócio de Agarimar, Servando Barreiro, e do que mostramos estas imagens:

Queremos recordar que estes obradoiros vam-se celebrar no mesmo local todas as segundas sexta-feira de cada mês, sendo o seguinte em dia 14 de Maio por enquanto.

Escrito às 14:19:58 nas castegorias: Iniciativas
por agarimar Email , 64 palavras, 346 leituras   Português (PT)   Chuza!
JOGOS E BRINQUEDOS

14-04-10

Para o ser humano em desenvolvimento não há diferença entre jogo e trabalho, essas categorias estão unidas em uma só atividade, e as suas interações, quando são dirigidas a partir de dentro e se levam a cabo num ambiente adequado, servem necessariamente para o seu desenvolvimento e maturidade.
As atividades do jogo nascem para partir dos impulsos que têm a sua origem nas necessidades de sobrevivência. Muda o comportamento instintivo, mas uma vez satisfeita a necessidade mais urgente (por exemplo, chuchar no peito), começa um outro elemento fundamental no jogo: a variação, a experimentação. A criança graças ao jogo desenvolve as estruturas de compreensão que lhe permitem viver com sucesso no mundo.
O jogo quando se trata de uma atividade autônoma e voluntária produz a mielinização do sistema nervoso e envolve habilidade, paciência, fantasia e força de vontade. Significa viver um processo.
A atividade não dirigida favorece:
- a coordenação sensorio-motoras,
- a segurança no raciocínio concreto,
- a capacidade de abstração e,
- a capacidade de encontrar a atividade pessoal satisfatória.

Evolução do jogo:

Até os 2-3 anos, trata-se do jogo de prática baseada na imitação e na repetição continua inconsciente.
De 3 a 5-6 anos dá-se o jogo simbólico em que é parte fundamental a imaginação. A partir dos 2-3 anos a criança já tem imagens internas do mundo o que lhe permite realizar as primeiras simbolizações (madeira voando brrrrrrrrrr). Segundo o Piaget o jogo representativo:
- é a base para a capacidade de simbolização e abstração
- o menino incorpora realidades concretas em seus esquemas mentais
- graças ao jogo crianças dixieren experiências difíceis de assimilar
- a criança procura através do jogo o equilíbrio entre adaptação e assimilação
- serve para colaborar com outras crianças, trocar papéis, aprender a ver o ponto de vista do outro e sair do egocentrismo infantil.
A partir dos 6 anos entram na fase operacional e começam os jogos com regras, já existe planejamento e finalidade.

O ambiente:

O conjunto é o meio natural de expressão da criança (ao contrário do adulto que se expressa sobretudo verbalizando). Em todo indivíduo existe uma força que o impulsiona para a maturidade, a independência e a autoregulação. Este incentivo precisa de um ambiente adequado. Quando a criança joga livremente está experimentando um período de pensamento e ação independente e está liberando aqueles sentimentos e atitudes que estão lutando por sair.
A criança deve ser totalmente aceite na sua actividade, só assim pode expressar todos os seus sentimentos e emoções. Isto não implica uma aprovação de todo do que faz, mas sim aceitação.
Para o jogo permita expressar a criança é muito importante que não seja dirigido, que a criança se sinta respeitada e aceite.
O adulto deve antecipar os possíveis conflitos que surgem durante a atividade do jogo para não ter de intervir e interferir na atividade (explicar bem os limites e as regras no uso do espaço, dos materiais, ...). Embora as normas menos importantes se devem apresentar quando surge a necessidade para não dar a impressom ao menino de controle da atividade.
No espaço da criança é a pessoa mais importante, ele controla a situação e a ele próprio, ninguém lhe diz o que deve fazer, ninguém o critica, ninguém rifa nem sugere ou obriga e ninguém se entromete na sua vida privada, é aceite por completo . Pode testar as suas idéias e expressar-se abertamente, não tem que competir com outras forças como a autoridade do adulto ou a rivalidade com outras crianças. Se lhe trata com dignidade e respeito.
Desaparecem as sugestões, mandatos, repressão, restrições, críticas, desaprovação, apoio e intromissom do adulto, o que é uma experiência única para a criança porque lhe permite ser ele próprio.
Os limites contribuem para o sentimento de segurança que se gera na criança num ambiente relaxado.
O adulto respeita à criança e acredita em sua habilidade para bastarse por ele próprio e tornar um indivíduo mais maduro e independente quando lhe dá a oportunidade de fazê-lo.
A criança é capaz de resolver os seus problemas, tomar decisões e assumir responsabilidades.

Brinquedos:

Para o jogo simbólico necessitam de material concreto. Além disso, precisam de material não estruturado.
Jogar e recolher vão tão unidos como inspirar e expulsar o ar, para recolher deve ter em conta:
- espaços classificados
- acompanhar a criança (até aos 6 anos), enquanto ordena
- dar-lhe muito tempo, sem pressas, permitindo o jogo enquanto se recolhe
- em casa pode fazer isso no fim da tarde, por exemplo, para permitir a interação entre vários jogos
- permitir deixar algo sem classificar sempre que estiver claro que o jogo não terminou

Brincar com animais feitos com materiais naturais:

Os animais feitos com materiais naturais são adequados para a etapa entre 4 e 8 anos, já que satisfazem as necessidades das crianças desta etapa, tanto sensoriais como o jogo simbólico.
As crianças descobrem o mundo usando constantemente os seus sentidos. É preciso que os materiais com que o descobrem lhes acheguem informações sobre cor, peso, forma, textura, tamanho, som ... e que lhes transmitam ao tato sensações diferentes (ao contrário do que acontece com o material plástico).
O jogo simbólico livre é o meio natural de expressão da criança (ao contrário das pessoas adultas que se expressam principalmente verbalizando), constitui a base para a capacidade de simbolização e abstração, permite às crianças digerir experiências vividas difíceis de assimilar, incorpora realidades concretas aos seus bosquejos mentais, e serve-lhe para colaborar com outros meninos e meninas trocando papéis, aprendendo a ver o ponto de vista do outro e saindo do egocentrismo infantil.

Escrito às 15:05:12 nas castegorias: Formaçom
por agarimar Email , 903 palavras, 826 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
OBRADOIROS DE CANTIGAS, RIMAS E JOGOS MUSICADOS

07-04-10

O vindouro dia 9 de Abril (sexta-feira) às 18h00 no Espaço para a criança Folhas Novas -Agarimar- da rua Real nº12 de Vigo, Servando Barreiro dará começo a um ciclo de obradoiros dirigidos básicamente às crianças para que já desde os primeiros meses comecem a escuitar e a brincar com a música.
Estám baseados na nossa tradição de cantigas, rimas e jogos musicados para que além do seu carater lúdico, vaiam desenvolvendo pouco a pouco as suas potencialidades musicais e lingüísticas.

Escrito às 15:07:40 nas castegorias: Iniciativas
por agarimar Email , 80 palavras, 423 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
DENUNCIAM FECHE DE SERVIÇO DE EDUCAÇOM MATERNAL

25-02-10

Diante da nova do feche do serviço de educaçom maternal no hospital materno infantil Teresa Herrera, pertencente ao Complexo Hospitalário Universitário da Corunha (CHUAC), a associaçom para o apoio à criança Kanguras vem de convocar a umha reuniom aberta a toda pessoa ou entidade interessada em promover algum tipo de acçom para solicitar o translado da unidade e a sua continuidade. Esta reuniom terá lugar na próxima sexta-feira dia 26 de Fevereiro às 17h30 no centro cívico do Castrilhom na Corunha.
As convocantes recolhem o trabalho de denúncia que vinham fazendo a associaçom de apoio à lactaçom Criando e mais Alma lactáncia e recordam que com este feche perdem-se definitivamente os grupos de pós-parto, quer dizer; exercícios de recuperaçom (pélvica e outros), puericultura, situaçons de emergência mais frequentes, alimentaçom complementar, masagem, gatear, vivências aquáticas, apoio à lactaçom, menopausa, incontinência,...

Escrito às 12:18:50 nas castegorias: Atividades
por agarimar Email , 138 palavras, 665 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
ALTERNATIVAS À EDUCAÇOM NA ESCOLA CONVENCIONAL

17-02-10

Na próxima sexta-feira 19 de Fevereiro às 18h00 decorrerá no Local Social Faísca (Rua Toledo, 9) de Vigo umha palestra sob este título organizada por DeLeite, para cuja exposiçom temos a satisfacçom de contar com Marta Garcia, mae de três crianças educadas na casa e vice-presidenta da Asociación para la Libre Educación, e com Rosa Graña, mae também e membro da Associaçom Pléiades.
Com o motivo de publicitar o encontro de famílias que educam na casa que transcorreu os passados 12, 13 e 14 de Fevereiro em Antas de Ulha (Lugo) e do qual Marta Garcia foi umha das organizadoras, já temos neste blogue informado sobre esta opçom educativa. Agora, com a intençom de dar a conhecer o trabalho que desenvolve a Associaçom Pléiades e despertar o interesse pola palestra desta sexta-feira, transcrevemos umha nova publicada num jornal local em Abril de 2007 sobre a actividade da associaçom. Boa leitura!

PUMARINHOS, ALTERNATIVA AO SISTEMA EDUCATIVO TRADICIONAL

A linha pedagógica da escola rejeita
a aprendizagem dirigida desde o exterior

Criada pola associaçom Pléiades,
a ela acodem crianças de 3 a 6 anos

NATALIA ÁLVAREZ. Vigo

Em Bembrive há umha escola para
crianças de 3 a 6 anos diferente ao
resto dos centros infantis de Vigo. É
mais, as suas promotoras, fundadoras
da associaçom Pléiades, nom
gostam do termo escola, e preferem
falar dum espaço preparado para as crianças.
O projecto nasceu em 2004, impulsado
por um grupo de famílias
que tinham em comum o seu rejeitamento
ao modelo educativo
tradicional, baseado na autoridade
do adulto sobre a criança, na aprendizagem
dirigida desde o exterior e no
parcelado do saber.
“Estávamos a criar aos nossos filhos
nas casas e, umha vez transcorridos
os 3 anos de excedência que
a legislaçom espanhola permite para
fazer esta tarefa, atopamo-nos
com a necessidade de criar umha
escola na que se mantivera a forma
de relaçom que nós tínhamos com os
nossos filhos, baseada na confiança
na criança e na nom intervençom dos
adultos”, explica Rosa Graña, umha
das impulsoras do projecto.
A linha pedagógica de Pumarinhos
está inspirada, principalmente, na
experiência educativa que durante
quase trinta anos Rebeca e
Maurício Wild colheitárom no
Pestazzoli, fundado em 1977 no
Equador.
“É umha pedagogia nom directiva,
que acha que toda aprendizagem é umha
auto-aprendizagem, um processo natural
que deve produzir-se de dentro
para fora”.
Todas as actividades que se desenvolvem
neste espaço nascem do jogo
livre, que estimula a curiosidade
natural das crianças. Para favorecer
as suas ganas de aprender e de relacionar-se
livremente entre eles, no
exterior da escola as crianças contam
com materiais para jogos de
movimento (balanços de corda,
atalaia de madeira, sobe e desce,...),
mesa de água, areeiro e escondedelas
de materiais naturais.
No interior desenvolvem-se as actividades
mais tranquilas através
do jogo simbólico. Para isto está habilitada
umha pequena loja, umha
cozinha e umha carpintaria, assim como
disfarces e materiais para manualidades.
Também existem espaços para actividades
que requirem muita concentraçom,
e que se desenvolvem através
de materiais estruturados (de
tacto, de olfacto, de sons, materiais
sensoriais Montessori, de prescritura
ou precálculo) e materiais nom
estruturados (sementes, cartons, tampas, folhas, fitas,...)
Toda a oferta de possibilidades está
ao alcanço das crianças. Cada umha
delas, ao chegar de manhá, elege
umha actividade que desenvolverá
até que decida dá-la por rematada.
Depois do almorço, preparado na própria
escola com alimentos de produçom
ecológica, oferecem-se-lhes trabalhos em
grupo: manualidades, actividades
artísticas, cantos, danças, expressom
corporal,...
“Participar nestas actividades é
voluntário; nom se lhes pressiona nem
estimula a participar, só se lhes informa
e elas decidem”.

O papel dos adultos

O projecto educativo de Pumarinhos
basea-se na crença de que crianças
e adultos som iguais e, portanto,
nom há lugar para a autoridade
do adulto sobre a criança. “Achamos
que ninguém ensina nada a ninguém,
e que o adulto sabe muitas cousas
que tenhem a ver com o seu estado de
madurez, mas nom sabe as que tenhem
a ver com o estado de madurez
das crianças”.
Isto nom significa que o papel
dos adultos seja prescindível. Ao
contrário, a sua presença é muito importante.
“Nom estám aí para impor
a sua autoridade, mas para
dar-lhes às crianças seguridade e
amor”.
Para desenvolver esta tarefa,
Pléiades tem contratadas duas pessoas
cujo papel é observar activamente
os jogos das crianças, velar
pola sua seguridade e responsabilizarem-se
de que sejam respeitados os limites
fixados.
“A autoaprendizagem da criança”, explica
Rosa Graña, “só se pode produzir
num espaço tranquilo, no que
as crianças se sintam protegidas. E
para iso necessitam perto um adulto
amoroso que lhes transmita seguridade
emocional e física”.

Criatividade
e confiança

As promotoras de Pumarinhos
nom gostam das comparaçons
entre as suas filhas e filhos e as crianças
educadas dentro do sistema
tradicional.
Porém, Rosa Graña opina que,
em geral, às crianças que
assistem a outras escolas infantis
resulta-lhes mais difícil saber quais som
as suas necessidades. “Acho que
as crianças, com tanta intervençom
do adulto, estám muito
desconectadas das suas
necessidades reais”.
Graña também critica o facto de
cada vez diminuir mais a
idade de ingresso numha escola
infantil. “Há correntes
pedagógicas que dizem que o melhor
que lhe pode passar a umha criança é
extrai-la da unidade familiar. Para
nós passa tudo a contrário, e de
facto pais e maes som
fundamentais na escola”.
À pergunta de como vê o
crescimento do seu filho e os seus
companheiros, Graña afirma que
som crianças com muita confiança
em elas próprias, muito imaginativas
e que desenvolvem a sua
criatividade por meio do jogo
livre e o jogo simbólico,
ferramenta que utilizam para
resolverem muitos dos conflitos.
“Além, som crianças que vivem com
muita intensidade as suas etapas
de madurez e que admitem muito
bem os limites”.

Educaçom livre
na Espanha

A legislaçom espanhola obriga a
escolarizar crianças a partir dos
seis anos. Em Pumarinhos ainda
nom tenhem esta
situaçom, mas tenhem a
perspectiva de continuar con este
espaço de educaçom livre, de
jeito similar ao que já fazem desde
há anos projectos como El
Roure, em Barcelona, ou Paideia,
em Mérida.
“Assim como nos anos 70 os
impulsores de iniciativas
baseadas na nom directividade
eram mestres ou pedagogos, na
actualidade somos as famílias as
que estamos a impulsar os
projectos; famílias que, por enquanto,
passamos por um processo
semelhante que começa por um
despertar da maternidade no que
se procura a nom intervençom e
que, afinal, desemboca na
autogestom da aprendizagem”.
Em defesa de sistemas
educativos alternativos ao
tradicional nascérom agrupaçons
como a Xarxa de Educació Lliure,
na Catalunha, ou a Asociación para
la Libre Educación, de ámbito
estatal e que defende a opçom
dos pais a educar aos seus filos e filhas na
casa, o chamado homeschooling.
Ainda que nom está reconhecido
por lei, como sucede na Inglaterra, Itália ou França, na
Espanha há um milheiro de pais e
maes que apostam por este
sistema educativo, cuja defesa
baseam no reconhecimento que fai
a constituiçom espanhola do
direito dos pais à orientaçom
pedagógica das suas filhas e filhos.
[Pode-se contactar com Pléiades
Ligando para o 605 116 146 ou no endereço
de correio electrónico
martaroal@hotmail.com]

A resoluçom dos conflitos

Umha educaçom em liberdade nom implica a ausência de limites. Isso sim,
estes devem ser claros e constantes. “Há poucas cousas às que há
que dizer nom, e todas tenhem a ver com a seguridade física e emocional:
nom permitimos que se bata, que se insulte ou que se moleste a outro
neno na sua actividade”.
Mas sempre pode surgir algum outro conflito, “que nom tem que ser motivo
de preocupaçom, mas umha oportunidade para resolver as etapas
evolutivas do ser humano” .Nestes casos, as mesmas crianças som as
encarregadas de resolvê-las. “Se som respeitadas e confiam nelas próprias,
a maior parte das vezes som quem de fazê-lo. Ademais, é surpreendente
as fórmulas que atopam, cousas que aos adultos nem se nos ocorreriam”.
Porém, pode dar-se o caso de que os pequenos sejam incapaces de
resolver o conflito num primeiro momento. Entom, o adulto estará ali
para, “dumha maneira muito amorosa e com muito respeito, recordar o
limite. Mas é o único que fai: a soluçom tenhem-na que atopar as crianças,
cujo crescimento lhes enfronta com novos problemas para os que tenhem
que procurar novas soluçons”.

Escrito às 12:38:51 nas castegorias: Formaçom
por agarimar Email , 1353 palavras, 763 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
II ENCONTRO DE FAMÍLIAS QUE EDUCAM NA CASA

08-02-10

Os próximos dias 12, 13, e 14 de Fevereiro terá lugar em La casa del alba de Antas de Ulha (Lugo) o segundo encontro de famílias que educam na casa. A ideia das/os organizadoras/es deste encontro é passar um fim-de-semana de convivência, jogos, passeios e a possibilidade de organizar umha charla para resolver as dúvidas que podam surgir sobre esta opçom educativa assim como partilhar as experiências das pessoas que já estám a educar na casa.

Este encontro é dirigido às famílias que educam na casa, mas também às que se queiram achegar a conhecer de perto esta opçom educativa.

Mais informaçom:

Marta Garcia; Tel. 617462966, ou escrevendo a martagarciaramos@yahoo.es

Também no blogue: http://aleenred.blogspot.com/


Videos tu.tv

Escrito às 10:17:28 nas castegorias: Atividades
por agarimar Email , 110 palavras, 426 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
PRÓXIMAS ACTIVIDADES EM VIGO E OURENSE

28-01-10

Lembramos as actividades previstas para as próximas semanas nas cidades de Vigo e Ourense:

29 de Janeiro às 18h00 na Casa das Mulheres (Rua Romil, 20) de Vigo:
O debate girará arredor do vínculo e o apego contando com a participaçom de Pilar Moreira (Achuchar), Maria González (Comadrona), Mamer e Sara (Maes), Belén Piñeiro (Educadora masagem infantil) e Fabiola e Rosana (Doulas).

30 de Janeiro às 16h00 no Centro cívico da zona velha (Rua dos artesaos e Praça da Ferraria) de Ourense:
Obradoiro de pintura e moldado em gesso em barrigas grávidas. Utilizarám-se duas técnicas de pintura, com pintura à água e com henna. Os moldes de gesso também se podem decorar e pintar, ficando um fermoso e decorativo recordo da nossa gravidez. Ao rematar fará-se umha sessom fotográfica para quem quiger participar. O custo do obradoiro só será o dos materiais, que se calculará dividindo o preço entre todas as participantes. Anotar-se antes do 28 de Janeiro por tel. ou correio electrónico:
Tel. 687913857 / 988244551
agarimar.gz@gmail.com

4 de Fevereiro às 19h00 no Centro cívico da zona velha (Rua dos artesaos e Praça da Ferraria) de Ourense:
Vídeo-fórum nascimento com a projecçom de:
“O Primeiro Grito” (2009), filme francês onde se conta o nascimento segundo diferentes culturas.
“De Parto” (2006), quais som as opçons que temos as mulheres no Estado espanhol?

5 de Fevereiro às 18h00 no Espaço para a criança Folhas Novas -Agarimar- (Rua Real, 12) de Vigo:
Debate sobre a gravidez, parto e lactaçom promovido polo grupo local de apoio à lactaçom De Leite.

13 de Fevereiro às 16h00 no Centro cívico da zona velha (Rua dos artesaos e Praça da Ferraria) de Ourense:
Obradoiro de pintura e moldado em gesso em barrigas grávidas. Utilizarám-se duas técnicas de pintura, com pintura à água e com henna. Os moldes de gesso também se podem decorar e pintar, ficando um fermoso e decorativo recordo da nossa gravidez. Ao rematar fará-se umha sessom fotográfica para quem quiger participar. O custo do obradoiro só será o dos materiais, que se calculará dividindo o preço entre todas as participantes. Anotar-se antes do 28 de Janeiro por tel. ou correio electrónico:
Tel. 687913857 / 988244551
agarimar.gz@gmail.com

18 de Fevereiro às 19h00 no Centro cívico da zona velha (Rua dos artesaos e Praça da Ferraria) de Ourense:
Vídeo-fórum nascimento com a projecçom de:
“O Primeiro Grito” (2009), filme francês onde se conta o nascimento segundo diferentes culturas.
“De Parto” (2006), quais som as opçons que temos as mulheres no Estado espanhol?

19 de Fevereiro às 18h00 no Local Social Faísca (Rua Toledo, 9) de Vigo:
"Alternativas à educaçom na escola convencional" com Marta Garcia (Associaçom pola Livre Educaçom) e Rosa Graña (Associaçom Cultural Pléiades)

Escrito às 12:04:20 nas castegorias: Iniciativas
por agarimar Email , 428 palavras, 596 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
AGARIMAR EM OURENSE

25-01-10

A zona de Ourense de Agarimar começa a sua andaina com a organizaçom de actividades pré-natais:

Obradoriros de Barrigas
Sábado 30-Jan
Sábado 13-Fev
a partir das 16h

Pintura e moldes nas nossas barrigas. Podedes ver um exemplo do que imos fazer em http://barrigadeyeso.com/fotogaleria.html (os moldes serám o dia 30)
Por suposto, esta é umha página comercial, nós simplesmente repartiremos os custos dos materiais entre as participantes. Por isso cumpre que vos anotedes antes do dia 28, enviando um co-e ou por tel.:

agarimar.gz@gmail.com
687 913 857 // 988 244 551

Vídeo-fórum nascimento
Quinta 4-Fev
Quinta 18-Fev
a partir das 19h

"O primeiro grito" (2009)
Filme francês onde se conta o nascimento desde diferentes culturas.

"De parto" (DocumentosTV 2006)
Sobre as possibilidades que temos as mulheres no estado espanhol.

Todas as actividades no Centro Cívico da Zona Velha.

Escrito às 14:19:25 nas castegorias: Iniciativas
por agarimar Email , 126 palavras, 427 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
NA GALIZA, GREVE NO ENSINO

21-01-10

21 DE JANEIRO: EM APOIO À GREVE NO ENSINO, TODAS/OS COM O NOSSO IDIOMA!!

Agarimar

Escrito às 04:38:01 nas castegorias: Atividades
por agarimar Email , 14 palavras, 184 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!
"DE LEITE" ORGANIZA JORNADAS EM VIGO

19-01-10

O grupo de apoio à lactaçom materna de Vigo, De Leite, vem de organizar para as próximas semanas umha série de debates e palestras arredor da criança.

A primeira das palestras será o próximo 22 de Janeiro às 18h00 no Centro Social O Guindastre de Teis, onde a técnica em igualdade e membro de Agarimar Ester Marinho falará sobre os direitos laborais durante a gravidez e lactaçom. O 29 de Janeiro às 18h00 na Casa das Mulheres o debate girará arredor do vínculo e o apego contando com a participaçom de Pilar Moreira (Achuchar), Maria González (Comadrona), Mamer e Sara (Maes), Belén Piñeiro (Educadora masagem infantil) e Fabiola e Rosana (Doulas).

Já no 5 de Fevereiro, o local da nossa associaçom (Rua Real, 12) será o cenário do debate sobre a gravidez, parto e lactaçom promovido por De Leite, e para finalizar as jornadas, o 19 de Fevereiro às 18h00 no Centro Social Faísca "Alternativas à educaçom na escola convencional" com Marta Garcia (A.L.E.) e Rosa Graña (A.C.Pléiades)

Escrito às 09:19:30 nas castegorias: Atividades
por agarimar Email , 163 palavras, 261 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!

<< 1 ... 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 >>

      AGARIMAR

      Agarimar é umha associaçom de maes e pais cientes da necessidade dumha criança alternativa que permita um melhor desenvolvimento integral das/os nenas/os. Podes contactar connosco em: agarimar.gz@gmail.com
      Julho 2014
      Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
       << <   > >>
        1 2 3 4 5 6
      7 8 9 10 11 12 13
      14 15 16 17 18 19 20
      21 22 23 24 25 26 27
      28 29 30 31      

      INICIATIVAS

          LIGAÇONS

          Gravidez e Parto:

          Lactaçom:

          Espaços educativos:

          Ensino doméstico:

        • EDUCAR NA CASA

          Recursos:


          Busca

        powered by b2evolution free blog software