Elogio da traiçom

04 Jun 2009
por Diadatoalhagz   , 406 palavras, 790 visualizaçons

O histórico galeguista dixo: "Mira pò índio que bem fala português".

Enquanto esperamos (como Águas de Março &#59;)) que os amigos de GzVídeos terminem de editar o seu documentário sobre o III Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata (DdoOLeR'09) e IX Dia Internacional da Toalha nós publicámos aqui um novo texto sobre luso-reintegracionismo do grande Quico Cadaval.

Após Paz por Territórios, hoje é a vez de Elogio da traiçom, texto publicado polo protagonista do DdoOLeR'09 na contracapa do número 40 do Novas da Galiza (disponível em pdf aqui).

Elogio da traiçom
QUICO CADAVAL

Umha vez, visitava eu um admirado vulto da cultura galega, um quase devanceiro. Eu ostentava umha camisola (em Lisboa, T-shirt) com um retrato de Gerónimo e um texto: Em galego, sem reservas. O histórico galeguista dixo: "Mira pò índio que bem fala português". Eu alarmei-me , se alguém culto como ele era impermeável à minha propaganda lusista, as esperanças de convencer as camadas iletradas e castelanizadas de metrópoles, esvaeciam-se como lágrimas na chuva.

O reintegracionismo, aproximar o galego à escrita do português, é umha corrente bem antipática para o povo beneficiário.ckquote>Porquê? Será porque nos afastamos do espanhol, a língua que come pantrigo e nom broa azeda? Nom tal. É porque o reintegracionismo, modesto movimento cultural, incontestável no plano teórico, é um tobo de antipáticos. Publicamente, só utilizam a nossa ortografia os War Children dos movimentos patrióticos que, fascinados polo 'tz' do basco, querem fazer o 'nh' igualmente temível para o assustado império espanhol.

Em segundo lugar, aparecem cachorros miméticos do rock radical (kanha!!) que para o dia a seguir do concerto vestem a gravata e o espanhol, e em terceiro lugar os piores, os que falam português de Lisboa (umha língua capitalina com os mesmos defeitos do madrilenho e do parigien) para se distinguirem do povo, num acto de arribismo de origem traumático-infantil (que lhes aconteceria nas primeiras romarias?!), que dizem atelier, bolota, workshop, comboio, e só podem falar bem na sua gerigonça quando se reúnem com os da sua seita. Um aviso: podes ser reintegracionista e falar galego.

Um escuro plano: quando alguém é mui antipático o melhor que pode fazer pola causa, é passar-se ao inimigo e desprestigiá-lo. Falade espanhol, a pátria agradecerá o leve e doloroso sacrifício.

Escrito ?s 12:23:57 nas castegorias: Nom categorizado
Chuza!

2 comentários

Comentário de: ro [Visitante]
ro

hahahaha, q boísimo!

04 Jun 2009 @ 19:28
Comentário de: diadatoalhagz [Membro]  
Diadatoalhagz

Com efeito. Quando é bom o Quico é mesmo bom. Mas quando é mau (como neste texto, como na sua arenga do 25 de Maio…) ainda é melhor! :-D

04 Jun 2009 @ 20:16