31-03-2006

Até a volta, logo!

Pois para os que não o sabem, amanhã marcho de viagem e não voltarei até o dia 11. No blogue suponho que não se notará muito porque ultimamente estou a escrever pouco, mas à volta hei de escrever algo, polo menos a crónica da viagem.
Vou com alguns colegas da faculdade de interrail, iremos a Budapest, Sarajevo, Split, Zagreb, Bratislava e Praga. Depois alguns voltamos e outros continuam para Polónia. Estou emocionadérrimo, já não vejo a hora de chegar a Budapest!!!
Pois logo divertide-vos os que ficades, eu já contarei que tal foi. E talvez traia alguma fricada para colocar aqui no blogue. Por exemplo, um papel escrito em croata, bosníaco e sérvio, ou uma foto de alguma cidade húngara que tenha um o com dous acentos, ou um u com circulinho da República Checa... Cousas destas que me interessam a mim e que a vós pode ser que não.
Venha, vemo-nos à volta
Até

FOI ESCRITO @ 21:07:57 na categoria Ivan Link permanente 1 comentário »

27-03-2006

Caiu!

Parecia impossível, mas aconteceu. O temporal, que já queimara com o sal algumas bandeiras, decidiu hoje dar a entender que a bandeira espanhola não fazia nada no passeio marítimo da Corunha. E deitou-na ao chão, assim sem mais. Esperemos que o novo alcaide não pense em repô-la, que admitam que se a natureza não a quere será porque é má em si :-P
O melhor foi que no momento em que caiu passavam por ali os amigos d'O Varal, e talvez amanhã tenhamos um vídeo do caso.
O motivo do post de hoje, depois de tanto tempo, iam ser precisamente os d'O Varal e o Bilharda All Stars que teve lugar hoje na Corunha, mas suponho que falarei disto no seguinte post quando tenha já alguma foto. O que vos podo dizer já é que foi um grande espectáculo.
Ivan
Nota: Pode-se ver o vídeo em exclusiva de Tele-Varal em http://youtube.com/watch?v=T0B8_xC7NbM.

FOI ESCRITO @ 00:16:10 na categoria Ivan Link permanente 3 comentários »

21-02-2006

Direitos linguísticos

Vivemos numa sociedade bilíngue? Pode ser... Se uma sociedade com duas (mesmo mais) línguas é uma sociedade bilíngue (ou multilíngue), podemos estar de acordo. Outra cousa já são os direitos linguísticos reconhecidos às comunidades falantes destas línguas.
No caso galego existem duas línguas (mesmo mais), mas os direitos reconhecidos às comunidades linguísticas não são iguais. Qualquer galegófono poderia confirmar que é impossível receber em galego todos os serviços imprescindíveis. Não estou falando de que os programas informáticos estejam em galego, estou falando de que estejam em galego os documentos da Segurança Social. Ou que os galegófonos possamos fazer em galego o contrato de aluguer do apartamento em que vivemos.
Precisamente foi este o problema que teve o Valentim, que solicitou na agéncia imobiliária que o contrato de aluguer estivesse em galego. A discusão com a gerente é absurda, poderia ser mesmo engraçada se não fosse real. Pode-se aceder à transcrição da conversa e à sua transcrição no Portal Galego da Língua [audio em mp3] [transcrição em pdf].
A agência perdeu dous clientes, os proprietários do apartamento e o Valentim, só por negar-se a redigir um contrato em galego. Se mais gente reclamasse os direitos que lhe correspondem, as empresas galegas deixariam de tratar os galegófonos como clientes de segunda categoria.

FOI ESCRITO @ 21:24:16 na categoria Ivan Link permanente 3 comentários »

10-02-2006

Best wishes, sir Francis!

O nosso Sir favorito deixa-nos. Marcha para Roma, de embaixador ao Vaticano. Que foi, que tinha medo de não ter maioria absoluta nas próximas eleições? Temos que compreendê-lo, Sir Francis não está preparado para governar em minoria, por isso nos deixa nas mãos de Losada, Marón e Barcón, os seus fieis feudatários, para que sejam eles os que perdam o governo da cidade. Eu tenho 22 anos, sir Francis é o único alcaide que lembro na minha vida. E agora marcha (em boa hora). Hoje festa!
Best wishes, sir Francis!
PS: Tanta alegria, e agora só nos faltava que o Papavento Papa Bento não o quigesse...

FOI ESCRITO @ 12:25:22 na categoria Ivan Link permanente Deixe um comentário »

07-02-2006

Tempo livre

Como poderedes supor pola profusão de posts nos últimos dias, não tenho muito que fazer... E a cabeça tem que trabalhar, se não vira mais lenta.
Para manter um pouco a actividade, estivem a traduzir uma canção, assim vejo se posso dizer o que quero com limitações de sílabas e de palavras. Levou-me duas manhãs (ou uma e meia) e penso que o resultado é aceitável.
O poema original é Les Passantes, de Antoine Pol, na versão cantada por Georges Brassens. A métrica da minha versão não é a mesma do original, mas penso que acai bem à música de Brassens. Como o meu francês não é muito bom, ajudei-me da versão italiana de Fabrizio de André, Le Passanti. A quarta estrofe foi cantada por Brassens só numa das duas versões publicadas, e não foi cantada por de André. Eu traduzi-a porque gostava, e a minha versão é para a mesma música que levam as outras estrofes.
Clicando no Continua poderedes ver a minha tradução

Full story »

FOI ESCRITO @ 12:22:37 na categoria Ivan Link permanente Deixe um comentário »

06-02-2006

Sempre Pucho!

Venho dum dos concertos mais emocionantes dos últimos tempos, a homenagem a Pucho Boedo na Corunha. Foi um destes dias em que a minha cidade se reencontra, em que ser corunhês é algo que não se pode explicar. O orgulho e a dignidade desta Corunha que tantas veces parece querer esquecer o que é e donde vem renascem na homenagem a um dos seus filhos mais ilustres, Pucho Boedo.
O concerto teve vários momentos especialmente emotivos, como a versão de A Outra Nai cantada por Nancho Novo e com a guitarra de Xoel (Deluxe), Ne me quitte pas de Yolanda Vázquez... todas boíssimas, e com a música dos Satélites. E também os vídeos de Pucho, em geral uma grande actuação. Foi gravada para a galega, assim que poderedes vê-la todos os que não a vistes.
Já estou esperando o do ano próximo, veremos com que nos surpreendem.
Sempre Pucho!

FOI ESCRITO @ 00:27:42 na categoria Ivan Link permanente Deixe um comentário »

02-02-2006

Rádio e televisão em galego

Às vezes é difícil para os galegos o acesso aos meios de comunicação lusófonos de forma gratuíta e legal. O sinal das televisões e rádios de Portugal só se recebe perto da fronteira, e de forma muito fraca. A alternativa costuma passar polos satélites, mas muitas vezes é necessário um decodificador que não se pode vender (legalmente) na Espanha.
Por isso, os galegos recebemos na nossa língua apenas a RTVG e alguma emissora municipal, pouco em comparação com o que recebemos em espanhol, embora às vezes tenha melhor qualidade.
O meu blogue, na sua vocação de serviço público, oferece-vos algumas emissoras de rádio que se podem ouvir através da Internet:
Radiogaliza
Rádio Cultura Angolana
TSFOnline
E alguns directórios onde se podem achar outras emissoras:
Directório de Rádios Online do Brasil
Directório de Rádios Online de Portugal
Em TvRadioWorld também há listagens de rádios e televisões de todo o mundo.
É concerteza uma solução precária, e só é útil para quem tem um bom acesso à Internet, mas podemos fazer que isto mude, é só passar polo sítio web da Plataforma para a Recepção das Televisões e Rádios Portuguesas na Galiza.
O acesso a rádios (e, em menor medida televisões) online é pouca cousa, mas é uma forma de ouvirmos, por exemplo, notícias internacionais na nossa língua (e sem expertos que falam em espanhol, como na RG) e músicas diferentes das dos 40, M80 ou KissFM.

FOI ESCRITO @ 18:23:44 na categoria Ivan Link permanente 3 comentários »

19-01-2006

De derrota em derrota até a vitória final!

Pois é-vos o que há. Marqués Rasputín 12-0 Exército Vermelho. O resultado é uma tristeza, mas o jogo não foi assim tão mau. A vitória deles foi merecida, mas talvez a diferença de golos deveria ter sido menor. Coloco-vos uma crónica emocionada (porque ainda venho quente) para os que não nos vistes.
Começámos bem. Estávamos os de sempre, 7 para jogar e o Iago de míster. Começamos bem, com o Dáni na baliza, mas três erros de defesa regalaram três golos ao Marqués Rasputín. Nesse momento, o moral caiu como se levasse uma pedra atada nos pés e recebemos mais quatro goles no primeiro tempo. O Dáni voltou-se a queixar da perna e o Isma partiu uma bota.
Quando acabou o primeiro tempo, chegaram Noelia e Xisela. Obrigado polos ânimos, mas para a próxima podedes vir mais cedo, que queremos ver a bandeira vermelha já desde o início do partido. Obrigado também à Uxía, que chegou algo mais tarde, e ao Iago, sempre fiel ao Exército Vermelho.
No segundo tempo relevei o Dáni na baliza. Começamos sendo seis, porque o Isma desaparecera. Foi um momento crítico porque não sabíamos que acontecia. Apareceu ao pouco tempo, fora reparar a bota. No segundo tempo encaixamos cinco golos, mas ao final jogámos melhor. Se tivéssemos saído assim ao princípio, o resultado teria sido outro.
Agora toca aguardar até o próximo jogo, 9 de Março, contra os 12 Apostoles. Então já se verá quem manda.
Avante Exército Vermelho!

FOI ESCRITO @ 13:34:15 na categoria Ivan Link permanente 2 comentários »

17-01-2006

A melhor piada de loiras da história

Normalmente não gosto de piadas sexistas, racistas ou todas aquelas que fazem humor com os preconceitos e que se baseiam no desprezo por uma parte, maior ou menor, da humanidade. Porém, hoje achei a , na minha opinião, melhor piada de loiras da história. Espero que gostedes.
Outra cousa, o Exército Vermelho jogará contra o Marqués Rasputín na próxima quinta-feira 19 de Janeiro às 10 da manhã. Exército Vermelho-Marqués Rasputín... não é curioso? Parece uma partida da história russa, ou algo assim. Bom, já se sabe como acabou a história...
Avante Exército Vermelho!

FOI ESCRITO @ 16:23:26 na categoria Ivan Link permanente 4 comentários »

22-12-2005

De volta na Corunha

Pois já vos tinha gana de voltar uns dias à casa. Já vim o David cos ferrinhos, o certo é que não se lhe notam muito.
Mas, muito mais importante do que isto, já compramos as entradas para o Galiza-Uruguai! Bom, desculpai, queria dizer Selecção Galega-Selecção Uruguaia, ou talvez eles se possam chamar Uruguai, já nem sei... Hoje à tarde iremos reservar um posto no autocarro de Siareiras Galegas da Corunha, que o jogo é tarde e depois não temos em que voltar.
Hoje queria ouvir uma das minhas interpretações da passada segunda-feira, dessa sessão de quatro horas com milheiros de combinações linguísitcas. Eu não sei como é nas vossas casas, mas acabo de descobrir que na minha já não é possível ouvir uma cassette. Penso que o único reprodutor que funciona é um que tem meu irmão de quando era cativo, mas está sem bateria e não dou achado um adaptador. Aliás, seria curioso ouvir uma interpretação do Kofi Annan num reprodutor de Playschool :-)
Meus queridos membros do colectivo ganhanista e outros companheiros da universidade que visitades a minha casa na rede, que pensarão os que nos vendem as cassettes? Será que a indústria da fita se mantêm só por causa dos estudantes de interpretação?
Não me vou despedir sem dar os parabéns à Alba que faz hoje 20 anos. D'hoje num ano, e daqui alô muitas vezes!

FOI ESCRITO @ 13:15:30 na categoria Ivan Link permanente 2 comentários »

<< 1 2 3 4 >>

Outubro 2019
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      

Busca

Categorias

  Feeds XML

multiple blogs