NOVOS ESCRAVOS EM EUROPA - Alsácia

30-05-2009

  23:43:43, por Corral   , 270 palavras  
Categorias: Ensaio

NOVOS ESCRAVOS EM EUROPA - Alsácia

Alsácia: polacas e rumanas cobram 6 euros por 10 dias de trabalho

Anna Maria Merlo
Il Manifesto

A umha semana das eleiçons europeias, a notícia tenderá a aumentar se cabe a perplexidade e o desapego com respeito à construçom comunitária. A CGT denunciou ontem as condiçons escandalosas de trabalho de um grupo de trabalhadoras agrícolas rumanas e polacas que recolhiam morodos e espargos em Brumath, Alsacia. As jovens cobram cêntimos de euro por quilo, nom mais de algum euro ao dia, sem respeito das leis francesas, que estabelecem um salário mínimo horário de 8,71 euros. Os inspectores de trabalho alsacianos abriram umha investigaçom e dezenas destas pessoas, como consequência da denúncia da CGT, partiram em autocarro para seus países de origem. As trabalhadoras alojavam-se num acampamento levantado sobre um terreno lamacento, delimitado por umha cerca. "Gaiolas com xícaras de váter", afirma a CGT, que denuncia condiçons de vida "desumanas" e "escravistas". O prefeito de Brumath, Etienne Wolff (do UMP, partido de Sarkozy) condenou este facto. O proprietário do terreno é um alemám de Freuenstadt, na Selva Negra, que leva anos alugando o terreno em Alsácia para produzir fruta e verdura, que depois vende a preços imbatíveis . O dono já tinha sido condenado no passado por casos similares, mas apelou (o que suspende a pena). "Quando visitamos este acampamento - dizem desde a CGT- tivemos a impressom de voltar ao passado. Esta situaçom desumana à que submetem às mulheres vítimas da miséria através da exploraçom trabalhista deve cessar imediatamente".

Sem comentários ainda

Outubro 2021
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administração

b2