Ponte Vedra 100% em galego

Quem Somos? Actividades Crónicas

BUSCADOR

Feeds XML

Comunicado de Amig@s da Cultura

A associaçom Amig@s da Cultura remitiu-nos na semana passada o seguinte comunicado de apoio polo nosso X Aniversário, que agradecemos encarecidamente:

Parabéns à Revira no seu X aniversário

Da A.C. Amig@s da Cultura queremos parabenizar à Revira no seu X aniversário e desejar-lhe êxito nos atos que tem programados para celebrá-lo nesta semana.

Sabemos que é complicado manter durante tanto tempo um projeto popular como este, baseado no trabalho voluntário e na implicaçom coletiva e que aliás está feito desde umha perspetiva galega e anticapitalista, quer dizer, contrária ao regime monárquico espanhol que padecemos desde há 35 anos.

É por isto que transmitimos a nossa força para a Revira continuar durante muitos anos mais. Conjuntamente com o de outros movimentos e associaçons da nossa cidade, o seu trabalho é imprescindível para atingir umha verdadeira mudança favorável aos interesses da Galiza e do povo trabalhador.

A luita continua!

Ponte Vedra, 5 de dezembro de 2013

Escrito em 13-12-2013, na categoria: Associaçom
Chuza!
Charla sobre a nova Lei do Aborto

A Liga Estudantil Galega organiza umha nova charla no nosso centro social, desta volta sobre a reaccionária reforma da Lei do Aborto que prepara o governo espanhol. Celebrara-se o 12 de dezembro às 20:30 no nosso centro social.

Escrito em 13-12-2013, na categoria: Actividades, Palestras
Chuza!
A Revira reclama a sustituiçom do nome da Avenida Fernández Ladreda, repressor do fascismo

A Associaçom Cultural A Revira quer aproveitar o novo aniversário da morte do ditador Francisco Franco para retomar a demanda da total retirada da simbologia franquista que ainda pervive na cidade de Ponte Vedra, umha proposta que já figeramos pública no passado 20 de novembro. A Lei de Memória Histórica do ano 2007 obriga às administraçons pública a retirar todos os escudos, insígnias, placas e qualquer objeto que exalte o levantamento fascista e a repressom da ditadura, como os que ainda pervivem na nossa cidade mais dum lustro depois.

Ademais, queremos engadir à nossa reclamaçom a sustituiçom dum nome do rueiro, o da Avenida Fernández Ladreda. Achamos incomprensível que umha das principais ruas da cidade leve ainda o nome deste militar fascista, e entendemos vergonhento que na placa apareça designado como um "político e científico", como se numha rua dedicada a Hitler se tentasse representá-lo como "pintor e chanceler". José María Fernández Ladreda nom só foi um dos altos cárregos da ditadura, na que ocupou o posto de Ministro de Obras Públicas, senom que previamente tivo um papel protagonista no aparelho encarragado da repressom.

Ladreda involucrou-se desde novo na política como dirigente das forças conservadoras, e ocupou o posto de alcalde de Oviedo durante a ditadura de Primo de Rivera. Como militar, dá no 36 o seu apoio à sublevaçom, traiçoando ao povo ao que teoricamente defendia, a legalidade que devia respeitar, e aos valores democráticos que jurara ao ser nomeado deputado nas Cortes republicanas. Encarregou-se de organizar a defesa de Oviedo contra o bando republicano, e depois formou parte dos tribunais militares que julgarom e condenarom aos seus companheiros de exército, que si foram leais à legalidade republicana.

Durante o franquismo aproveitou as vantagens que este régime concedeu aos que colaboraram na sua vitória, e chegou até o Ministerio das Obras Públicas, que ocupou seis anos, desde 1945 até 1951. Precisamente é este posto é o que explica que este assassino e político mediocre conte com tantas ruas em todo o Estado, já que os municípios recorriam à pleitesia para acadar investimentos, no quadro dum sistema caciquil e corruto. Esse reconhecimento servia como antesá da concessom de obras.

Fernández Ladreda nom é digno de nomear umha rua na nossa cidade. Um ativo participante no golpe de Estado, um repressor involucrado nos crimes da ditadura, um traidor ao seu povo, aos seus compromisos e aos princípios que jurou defender, um cacique que gostava de ver o seu nome no rueiro para conceder obras, e finalmente um ministro do régime baseado na negaçom de todos os direitos e liberdades. Achamos que todas estas razons som mais do que suficientes para esigir o cámbio do nome.

Neste sentido, afirmamos que a denominaçom desta avenida nom pode deixar de ser considerada umha manifesta exaltaçom da sublevaçom militar e a repressom da ditadura, e polo tanto merecente da retirada segundo o artigo 15 da Lei de Memória Histórica. Nem sequera umha Lei tam seródia, raquítica e insuficiente pode avalar a continuidade deste nome, polo que nom entendemos a demora na sustituiçom do nomenclátor, particularmente quando já foram sustituidos a maioria dos nomes franquistas. De feito, os municípios asturianos, bos conhecedores das barbaridades cometidas polo militar, já começaram em 1979 a retirar o nome das suas ruas, ainda vigente em Ponte Vedra mais de três décadas mais tarde. A avenida merece um nome vinculado à tradiçom galega e popular da cidade -um processo que já se realizou noutras ruas- e esigimos a sua inmediata sustituiçom.

Escrito em 20-11-2013, na categoria: Associaçom
Chuza!
A Revira celebra o seu X Aniversário
X Aniversário

O X Aniversário da Revira estará à altura do que a data merece. Som poucos os projectos das características do nosso que resistem durante toda umha década, dinamizando a cultura em todas as suas expressons e vertentes, construíndo poder popular desde a base, desde o anticapitalismo e incardinados na construçom nacional da Galiza livre e socialista que tanto arelamos.

Para celebrarmos este aniversário, organizamos o programa mais ambicioso que nunca levamos a cabo, já que aguardamos reunir às muitas pessoas amigas e colaboradoras que ao longo do ano assistem a umha conferência no nosso centro social, participam dumha projecçom, unem-se a um ato reivindicativo ou simplesmente debatem e compartem visons, medos e esperanças com nós. Pretendemos conjugar a alegria e o convívio com a reivindicaçom e a formaçom, por meio do seguinte calendário de atos:

O 6 de dezembro, dia propício para a reivindicaçom da soberania galega, celebramos um concerto na Sala Karma, com a presença dos grupos Champurrada, Skarmento e o García MC junto com o DJ Mil. Três actuaçons de estilos e trajectórias muito diferentes que venhem a testemunhar o que afirmamos dia a dia: tudo é possível em galego, também na música. O concerto terá um bilhete com preço de 7 euros.

Após o concerto, ainda haverá espaço para umha festa no bar Entre Lusco e Fusco, com a música galega de ambiente.

Já no dia seguinte, sábado 7, temos a honra de acolher no nosso local a Xosé Neira Vilas, o autor do livro mais lido da literatura feita na Galiza, o emblemático Memorias dun neno labrego, mas responsável dumha prolífica obra que também inclue a poesia, o ensaio e o artigo jornalístico. O tema da sua conferência, que começará às 19:30, é central na história recente do nosso país, já que abordará o vencelho histórico da Galiza com o mundo americano, matéria na que leva a trabalhar e investigar várias décadas, e sobre a que conta com umha ampla experiência persoal após viver trinta e um anos em Cuba.

Por último, o mesmo sábado 7 celebraremos umha ceia de confraternizaçom, para a que há que anotar-se previamente, que começará sobre as 22:00 da noite. Já a partir das 23:30, pecharemos o aniversário com umha festa que incluirá o sorteio de material e outras surpresas.

Venham mais dez!

Escrito em 12-11-2013, na categoria: Associaçom, Actividades, Concertos, Festas, Palestras
Chuza!
Um mês cheio de atividades
novembro

O mês de novembro continua com um bom feixe de atividades no nosso centro social, tantas que apenas colhem no cartaz, e ainda celebramos vários atos fora do local.

Após a palestra sobre a ria, a vindoura conferência celebrará-se a quinta-feira 28 às 20:30. Se a passada sexta-feira discutiamos sobre as ameaças ambientais e sociais na nossa costa, agora profundizaremos nas consequências da agressom planificada pola mineria selvagem, com membros do coletivo contraMINAacción.

Temos programada umha viagem cultural ao passado de máximo interesse. Organizamos umha saída o sábado 23 às 12:00[actualizaçom] ao parque arqueológico e rupestre de Campo Lameiro, 22 hectáreas consteladas de gravados rupestres que falam da nossa prehistória e do fascinante caminhar da humanidade. Pregamos às pessoas interessadas que se anotem no nosso correio (centrosocial@revira.org) ou bem no nosso local social para atender a logística.

Polo meio, ainda haverá tempo para o lezer, com a celebraçom dum novo campionato de matraquilhos, o sábado 16 às 21:30, com prémio para as parelhas ganhadoras.

Por último, o grupo de estudos celebra umha sessom especial sobre um dos acontecimentos mais importantes, se nom o maior, na história da luita pola liberdade, a revoluçom soviética de outubro de 1917. Celebrará-se o sábado 30 às 19:00.

Escrito em 12-11-2013, na categoria: Associaçom, Novidades, Actividades
Chuza!

<< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 71 >>

O Local Social Revira é um espaço alternativo galego inserido e ao serviço do movimento popular da comarca de Ponte Vedra fundado em Dezembro de 2003

Somos umha entidade independente, autogerida e plural, com visom de País e um projecto de esquerda anticapitalista.

Contacta com nós CS Revira em Facebook CS Revira em Twitter

Onde estamos? Gonzalo Gallas, 4, rés do chao Ponte Vedra, Galiza

Segunda-Feira 20.00 a 22.00
Terça-Feira 20.00 a 22.00
Quarta-Feira 20.00 a 22.00
Quinta-Feira 20.00 a 22.00
Sexta-Feira 20.00 a feche
Sábado 20.00 a feche

Ponte Vedra 100% em galego

LIGAÇOES

COLETIVOS PONTE VEDRA


CENTROS SOCIAIS

INFORMAÇOM

LINGUA

ANTIRREPRESIVO

MEIO AMBIENTE

FEMINISMO

SINDICATOS

DESPORTOS