Ponte Vedra 100% em galego

Quem Somos? Actividades Crónicas

BUSCADOR

Feeds XML

Categoria: Comunicados

No nosso corpo mandamos nós! Polo aborto livre e gratuito

A Associaçom Cultural Revira visto o espectáculo lamentável que está a dar a ultra-direita católica no Concelho de Ponte Vedra quer manifestar o seguinte:

- Apoiamos todo tipo de iniciativas que venham a reivindicar a soberania da mulher para poder decidir o que fazer co nosso corpo em qualquer momento da vida. Desde A Revira queremos incidir na violência que se exerce sobre a nossa capacidade de decidir sobre o nosso corpo, a nossa sexualidade, a nossa saúde sexual e reprodutiva, a nossa liberdade e a nossa vida.

- Rejeitamos a reforma da lei do Aborto impulsada polo Partido Popular, ao supor um autêntico retrocesso nos direitos reprodutivos e sexuais das mulheres. Consideramo-la pois, um frontal ataque à liberdade e em definitiva umha vulneraçom dos direitos mais básicos do ser humano. Esta lei obriga às jovens a contarem com o consentimento materno e paterno para abortar, mas também legitima o direito à objeçom de consciência das profissionais sanitárias. Mais grave é a supressom do direito ao aborto por malformaçons fetais, minusvalorando os riscos reais para a saúde física e psicológica da mulher, que deverá ser justificado por parte de dous médicos distintos.

- Esta lei que quer impor o Partido Popular contra a vontade maioritária das mulheres, nom virá mais que a provocar um aumento do número de abortos, a maior parte em condiçons precárias e clandestinas, sem nengum tipo de proteçom. A direita nacional-católica quer-nos converter em delinquentes ao estar tipificado como delito.

- Rejeitamos qualquer intromissom nas nossas vidas e na vida pública de Ponte Vedra dos colectivos de extrema-direita Hazte Oir, Foro da Familia e Derecho a Vivir, por considerá-los inimigos dos direitos nom só da mulher, senom dos direitos humanos. Achamos que plataformas que denigram um ser humano pola sua condiçom sexual nom deveram ter espaço na nossa sociedade.

- Assim, desde A Revira lembramos que Hazte Oir ou o Foro da Família som contrárias a que duas pessoas do mesmo sexo podam estabelecer vínculo matrimonial ou adoptar umha criança. Estes mesmos colectivos manifestárom-se também noutras ocasions em contra do divórcio expresse, da pílula anticonceptiva e das campanhas de uso do preservativo na nossa mocidade. Hazte Oir ademais, vem de manifestar o seu total apoio ao novo cardeal espanhol Fernando Sebastián Aguilar que manifestou que “a homossexualidade é umha deficiência que se pode normalizar”.

Por isto, a Associaçom Cultural Revira manifesta o seu completo apoio ao Concelho de Ponte Vedra e chama a sociedade a pendurar mais faixas, a plantar-lhes cara e a ilhar a direita fundamentalista. Animamos as mulheres a auto organizar-se baixo princípios feministas e de esquerdas para por fim a esta patriarcal longa noite de pedra. Mostramos polo tanto a nossa solidariedade com o movimento feminista –onde fazemos parte- e a súa legítima reivindicaçom a prol do direito a decidir das mulheres sobre os seus corpos.

Escrito em 30-01-2014, na categoria: Associaçom, Comunicados
Chuza!
A Revira ante a agressom contra Síria
antiimperialismo

A Revira chama a pessoas sócias e amigas a participar da concentraçom que terá lugar na vindoura segunda-feira, 2 de setembro, às 20:30, na Praça da Peregrina, convocada por umhas quince entidades sociais.

Ademais, queremos fazer públicas as seguintes consideraçons:

A Associaçom Cultural Revira ante a mais que provabel intervençom imperialista em Siria quer manifestar o seguinte:

1. EUA, França e Inglaterra da mau do estado de Israel e os seus aliados de Oriente Médio preparam umha nova agressom imperialista contra Síria pissoteando a soberania dos povos e polo tanto rexeitando a resoluçom do conflito por vias pacíficas

2. Esta intervençom nom vem mais que a prolongar a guerra encoberta que desencadearom há muitos meses com o armamento, financiaçom e adestramento dos chamados rebeldes. Uns rebeldes que nom venhem a ser mais que um conglomerado de forças fundamentalistas islamitas vindos das diferentes ramificaçons que Al Qaeda tem na zona. Nada tenhem a ver com os movimentos populares que derrocarom o governo de Egipto. Mas nom surpreende que Ocidente apoie logisticamente a quem logo di combater. É sabido que Al Qaeda foi criada polos Estados Unidos de América para derrocar o socialismo iraquiano.

3. Com a escusa das armas químicas, feito nom provado e que segundo diverssos agentes da ONU seriam usados polos rebeldes, levaram a cabo coma no Iraque, Afeganistám ou em Libia umha serie de bombardeios e ataques com os resultados que todos e todas sabemos: Assassinatos massivos, destruiçom e miséria para milhons de pessoas . Numha situaçom no que os mercenários forom na práctica derrotados e com a presença de agentes internacionais para investigar o uso de armamento químico seria absurdo que o governo de Bashar-Al-Asad utilizara estes compostos contra um inimigo rendido.Cremos firmemente que é umha operaçom para controlar nom só os recursos senom umha zona estrategicamente vital para os interesses dos Estados Unidos de América e de Israel.

4. A Revira quer lembrar que estas potências imperialistas, "defesoras" da paz e dos direitos humanos som as mesmas que utilizarom armas nucleares e biológicas contra a populaçom civil ou agente laranja contra o povo do Vietname.Estas potências levam anos promovendo golpes de estado em Venezuela, Chile, Honduras, Egito, etc. Destacamos tambem a sua colaboraçom com Israel no genocidio que sofre o povo palestiniano ou com Marrocos contra o povo do Saara. E é que as garras do capitalismo som culpáveis dos assassinatos de milhons de pessoas por todo o mundo.

5. Em plena crise do sistema capitalista, as razons destas agressons militares nom tenhem nada a ver com a defesa dos direitos humanos, da liberdade dos povos e o seu progresso económico. O objectivo é o controlo das reservas energéticas do Médio Oriente e assegurá-los mediante governos títeres como sucede no Iraque e em Libia , dous paises que se atopam actualmente devastados, com milheiros de refugiados e na pobreza absoluta

5. Por último desde A Revira chamamos a todas as forças de esquerdas e antiimperialistas a levar a rûa o nosso protesto, a voz dos que queremos um mundo em paz e com justiça social. Apostamos por umha resoluçom pacífica do conflito onde os sirios no seu ejercicio pleno de soberania poidam decidir o futuro do seu país contando com o povo curdo. Solicitamos aos governos europeus e estadounidense o cumplimento dos principios aprovados na carta da ONU e do Direito Internacional e o fim das guerras de rapina.

Escrito em 30-08-2013, na categoria: Associaçom, Comunicados
Chuza!
A Revira diz nom às touradas
nom ás touradas

Mais um ano o colectivo Touradas fora de Pontevedra convoca umha nova mobilizaçom contra a barbárie taurina. Será o Sábado 10 de Agosto às 20h e partirá desde a praça da Peregrina. A associaçom Cultural Revira quer mostrar o seu apoio a esta quinta ediçom assim como a todas as lutas em defesa dos animais e contra a tortura e chama a populaçom a participar massivamente

Alem de ser umha tradiçom alheia à nossa cultura e à nossa terra, polo tanto imposta; pensamos que a luita antitouradas tem que se estender por todas as latitudes, porque o maltrato animal nom depende nem de paises nem de culturas.

Exigimos também a supressom do financiamento por parte das administraçons públicas, já que sem ajudas as corridas de touros desapareceriam, dado que como todos sabemos detrás das touradas só há negócio, nem arte nem cultura.

Por isto e por muito mais solicitamos :

1. Que o Parlamento da Galiza modifique a Lei 1/1993, de Proteçom de animais domêsticos ou salvagens em cativeiro, que exclue no seu artigo 5º as touradas, para que proíba estas actividades.

2. À Deputaçom de Ponte Vedra que as deixe de subvencionar diretamente ou de forma encoberta.

3. Ao Concelho de Pontevedra, o cessamento do uso de espaços públicos para a promoçom das touradas, assim como a declaraçom de Ponte Vedra como “Cidade antitouradas e amiga dos animais”.

Por último animamos-vos a participar no mesmo dia às 11:30 na praça de touros na cadeia humana convocada por Igualdade Animal

Escrito em 05-08-2013, na categoria: Associaçom, Comunicados
Chuza!
Pola dissoluçom da BRILAT
Forças do imperialismo, nom do povo!

Em relaçom ao conflito mediático em torno da possível marcha da Brigada de Infantería Ligera "Galicia VII"-BRILAT da Base Militar General Morillo, da Revira queremos fazer as seguintes consideraçons:

1- Como nacionalistas, opomo-nos rotundamente à presença no nosso país de forças armadas do Estado que nos nega a soberania, e que tenhem como missom impedir o acceso da Galiza à sua autodeterminaçom e independência, por meio da força das armas. Este objetivo está explicitamente reconhecido no artigo 8º da Constituiçom, que precisamente foi redatada sob a férrea vigilância das Forças Armadas, o célebre "ruído de sables". A democracia e a República da Galiza nom chegarám sem desembaraçar-nos desta força militar.

Ademais, temos que lembrar que o exército espanhol caracterizou-se pola sua continuidade com as estruturas franquistas. As Forças Armadas nom só foram um pilar fundamental desta ditadura, senom que nunca experimentaram ruptura nem depuraçom com este passado, polo que nom podemos reconhecer-lhe nengum caráter democrático e legal. Neste sentido, temos que lembrar que também o cuartel de Figueirido funcionou como campo de concentraçom de presos republicanos durante o franquismo, sem que os seus dirigentes manifestaram o mais mínimo arrepentimento até a data de hoje. Assim, trata-se dum exército com um longo historial de crimes de guerra e de torturas, como as recentemente denunciadas no Iraque, que o governo espanhol preferiu nom investigar.

Leia mais »

Escrito em 11-06-2013, na categoria: Associaçom, Comunicados
Chuza!
Nom a McDonalizaçom de Ponte Vedra!

Recentemente vimos de conhecer que a marca norte-americana Mcdonald´s tinha que fechar as suas 5 sucursais em Bolívia ante o escasso interés de dita populaçom. Ante o processo de globalizaçom e mcdonalizaçom da sociedade o povo boliviano demonstrou uma madurez insólita no resto do mundo, apostando nos produtos autóctones, pola produçom local e pola defesa dos animais e do meio ambiente.

Assim, o porta-voz autárquico do PSOE e vereador de urbanismo, Antón Louro, vem de anunciar que nos próximos meses abrirá o primeiro restaurante desta marca americana na nossa cidade. A multinacional solicitou a licença de demoliçom da parcela de 1.011 metros quadrados ubicada na Avenida de Lugo onde se pretende abrir. Anunciou também a ubicación doutro Mcdonald´s no Bao para finais de 2013, coincidindo com a ampliaçom deste polígono industrial.

Desde A Revira queremos manifestar a nossa total opossiçom à chegada deste complexo alimentário por representar todos os valores negativos da sociedade capitalista: Precariedade laboral, enriquecimento de umha minoria, destruçom do meio ambiente, comida-lixo, expeculaçom e exploraçom cruel dos animais.

A tortura animal está no ADN do Mcdonald´s, e assim som culpáveis de criar animais em granjas intensivas sob condiçons antinaturais, sem água, sem ar fresco, sem luz solar e sem liberdade de movimento. Destaca o uso de métodos de sacrifício ineficientes que adoptam causar a morte lenta do animal coma os golpes no pescoço, coiteledas ou electrocuçom. Os polos que se criam para esta empresa som apretados em gaiolas suxas nas que cada ave ocupa um espaço menor que umha folha de papel. Isto causa doenças, sofocaçom e ataques cardíacos. Os porcos passam toda a sua vida em estábulos de cementos, onde nom podem voltear-se nem deitar-se em posiçom cómoda. Injectam aos animais enfermos enormes quantidades de antibióticos para nom contaminar a carne, o que repercute no seu posterior consumo. Ademais, o uso de alimentos transgénicos é algo habitual nesta multinacional.

Mcdonald´s promove o seu produto coma saudável, mas a realidade é que os seus produtos som altos em graxas, açúcar e sal, e baixos em fibras e vitaminas. Umha dieta deste tipo está ligada a grandes riscos de doença do coraçom, cancro, diabetes e outras doenças. Os seus produtos contêm grande quantidade de aditivos químicos, podendo causar má saude e hiperactividade nas crianças. Em 1991 foi responsabel de uma irrupçom de alimentos envelenados no Reino Unido que causou sérios problemas nos rins de milheiros de pessoas. No ano 2003, deram-se em diferentes países casos de detecçom da bactéria Escherichia Coli na carne desta empresa, contagiosa do Síndrome Urémico Hemolítico (SUH) que derivou em doenças e mortes nos clientes polo consumo dos seus produtos e que ademais som nutricionalmente vazios (as hamburguesas que produzem têm 48% de agua e as leitugas estám tratadas com 11 tipos de químicos, por pôr só dois exemplos).

Com certeza, esta cadeia é culpável da depredaçom do planeta e da condea à miséria absoluta de milhons de pessoas. Só em Latinoamérica perdem-se uns 600 milhons de toneladas de terra fértil num só ano contando só exploraçons ganadeiras.Por nom falar da perda de milheiras de ht de selva amazónica para o cultivo transgénico. Cada ano usam milheiros de toneladas de empacotado innecessários, muitos dos quais rematam em basureiros saturados ou diretamente nas nossas ruas e mares. As florestas mais formosas do mundo seguem a ser destruidas polas companhias multinacionais. O uso de milhons de hectares forçam a populaçom local, quase sempre de paises empobrecidos, a mover-se a outras áreaas, abandoando as suas terras ancestrais e acabando com a produçom sostivel, ecológica e autosuficiente destes povos. Enquanto milhons de pessoas morrem de fome, vastas áreas de terras em paises pobres som usados para ranchos de gando ou para o cultivo de grao transgénico para alimentar os animais

Mas se nalgo destacam é pola exploraçom os seus trabalhadores. Cabe destacar que praticamente todos os empregos gerados som temporários e mal pagos. Segundo diversas estatísticas 1 em cada 5 americanos trabalharam alguma vez na sua vida no Mcdonald´s. Os seus salários som baixos, nom pagam as horas extra e estám acostumados a trabalhar muitas horas a um grande ritmo. Com a velocidade para obter grandes lucros e a um costo baixo, o resultado é um alto nível de acidentes, particularmente queimaduras. A meirande parte dos seus empregados som gente com poucas opçons de trabalho ou estudantes, e portanto forçados a aceitar este tipo de exploraçom. Nom surpreende que o pessoal rotativo seja muito alto, fazendo práticamente imposibel a sua sindicalizaçom e a luta por um trabalho mas digno. Curiosamente sempre se manifestaram contra a sindicalizaçom dos trabalhadores, e nom som poucos os paises onde estes estiveram com grandes problemas.

Para rematar, desde a Associaçom Cultural Revira queremos defender o comércio local, gerador de emprego e riqueza e que se verá seriamente afectado com a chegada destes monstros da alimentaçom ao nom poder competir com os preços do Mcdonald´s. Apostamos por uma alimentaçom baseada no produto galego, de qualidade e produzido na nossa terra de forma sostivel. Consumindo produtos da terra criaremos riqueza e comeremos melhor. Resulta indignante que este tipo de multinacionais tenham grandes facilidades enquanto os nossos gadeiros, agricultores e marinheiros encontram o portazo da Junta da Galiza, do governo espanhol e da Uniom Europeia.

Por tudo isto animamos a toda a cidadania de Pontevedra a rejeitar a presença da corrente Mcdonald´s. Se nom apoiamos a produçom local seguiremos condenados à emigraçom enquanto uns poucos enchem os seus petos

Escrito em 05-06-2013, na categoria: Associaçom, Comunicados
Chuza!

1 2 3 4 5 6 7 >>

O Local Social Revira é um espaço alternativo galego inserido e ao serviço do movimento popular da comarca de Ponte Vedra fundado em Dezembro de 2003

Somos umha entidade independente, autogerida e plural, com visom de País e um projecto de esquerda anticapitalista.

Contacta com nós CS Revira em Facebook CS Revira em Twitter

Onde estamos? Gonzalo Gallas, 4, rés do chao Ponte Vedra, Galiza

Segunda-Feira 20.00 a 22.00
Terça-Feira 20.00 a 22.00
Quarta-Feira 20.00 a 22.00
Quinta-Feira 20.00 a 22.00
Sexta-Feira 20.00 a feche
Sábado 20.00 a feche

Ponte Vedra 100% em galego

LIGAÇOES

COLETIVOS PONTE VEDRA


CENTROS SOCIAIS

INFORMAÇOM

LINGUA

ANTIRREPRESIVO

MEIO AMBIENTE

FEMINISMO

SINDICATOS

DESPORTOS