Dá-me o corpo que esta expressom é popular, mas correta

08-04-2014

CONSULTA:

Boa tarde,

gostaria de consultar a expressom «dar o corpo» ou «dar no corpo» como sinónimo de «intuir». Qual das duas é a expressom correta? Ou som as duas? Que origem tem?

Parabéns polo vosso labor.

Obrigado

Óscar

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Como refere o amável consulente, a expressom popular dar [a alguém] o corpo utiliza-se com o sentido de 'pressentir qualquer cousa', como em «Dava-me o corpo que, desta vez, ia superar a prova». No mesmo sentido, também se pode recorrer às expressons ter um palpite ou ter um pressentimento.

Categoria(s): Fonética, Léxico
Chuza!
Empada e empadinha

14-02-2014

Diferentes formas da empada no mundo lusófono: ao fundo, a mais comum no Brasil e em Portugal, parecida com a empadinha da Galiza; à frente, a conhecida empada galega

CONSULTA:

No dicionário aparece a distinçom entre empada e empanada; porém, na oralidade nunca ouvim.

No Brasil a nossa empada é o empadão. E empada a empanadilla. Como devemos denominar na Galiza as empanadas? E as empanadillas?

Obrigado!

Diego

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Embora os dicionários luso-brasileiros registem as formas empanada e empanadilha para designar duas especialidades culinárias bem populares na Galiza, em galego nom podemos aceitar tais denominaçons, por serem claramente castelhanas, e nom galego-portuguesas (repare-se nos castelhanos n intervocálico e sufixo -ilha dessas formas). Por conseguinte, para designarmos em bom galego-português da Galiza as especialidades culinárias galegas cujos nomes castelhanos som empanada e empanadilla, recorreremos, respetivamente, às formas genuínas galego-portuguesas empada e empadinha

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Pegar e apanhar

11-02-2014

O famoso hit brasileiro nom tem, logicamente, conotaçom violenta, mas erótica: pegar (mais comum no Brasil) significa apanhar ou agarrar (mais comuns na Galiza e Portugal)

CONSULTA:

Há alguma equivalência de pegar no sentido de apanhar uma pessoa? Pilhar é próprio de registos coloquiais? Doutro lado, que palavra recomendam para pegar no sentido castelhano (agredir) que não seja esta, talvez demasiado culta? Obrigado.


RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Em bom galego, e de harmonia com o luso-brasileiro, deve priorizar-se o uso do verbo pegar com o sentido de 'prender, agarrar' (ex.: «pegou o lápis» ou «pegou no lápis», «pegou o ladrom polo pé»), e deve utilizar-se, com o sentido de 'aderir', o verbo colar (ex.: «colar cartazes na parede»). O verbo colher deve reservar-se, maiormente, para traduzir o sentido de 'extrair, tirar, (re)coletar, colheitar' (ex.: «colher flores e frutos»), enquanto que apanhar tem o sentido geral de 'tomar, capturar, recolher do chao, segurar, surpreender alguém a fazer umha cousa', em usos como «apanhar água de um poço», «apanhar lenha», «apanhar o lápis do chao», «apanhar um táxi», «apanhou-nos a roubar», «a noite apanhou-me ainda a caminho», etc. Por outro lado, pilhar é voz relacionada com pilhagem («os soldados pilhárom e incendiárom o povoado»), e, como equivalente do cast. pegar 'agredir', em galego utilizamos bater ou espancar (ex.: «bater o tapete para lhe tirar o pó», «bateu-lhe com o cinto», «bateu no filho com sanha»,«professor foi espancado por dous alunos»).

Categoria(s): Fonética
Chuza!
«Cambio» ou «troca»? «Em troca» ou «no entanto»?

02-02-2014

Na ilustraçom de cima, umha troca de prendas; na de baixo, cámbio de diferentes moedas

CONSULTA:

É correto o uso de «en cámbio"? Exemplo: «Sempre transijo; em cámbio, ti tés que sair sempre com a tua.»

Joám

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Nom, nesse caso nom é correto o uso de cámbio. O uso da palavra cámbio, em galego-português, deve restringir-se àqueles enunciados relacionados com as divisas («cámbio dólar-euro», p. ex.). Por outro lado, quando a voz castelhana cambio tem o valor de permuta (p. ex., na locuçom a cambio de), em galego equivale a troca, e quando tem o valor de transformaçom, equivale em galego a mudança, (ou alteraçom). No entanto, na locuçom castelhana en cambio, cambio tem valor de contraste ou de oposiçom, de modo que aí equivale a umha conjuçom ou locuçom galega adversativa ou contrastiva, como no entanto, porém, enquanto (que), polo contrário... Por conseguinte, o exemplo proposto formula-se assim em bom galego: «Eu sempre transijo; polo contrário, tu tens sempre de levar a melhor!» ou «Eu sempre transijo; no entanto, tu tens sempre de levar a melhor!».

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Quer produzir e produz...

26-01-2014

CONSULTA:

Segundo o Manual de iniciaçom à língua galega, os verbos em -azer ou -uzir perdem a vogal temática na terceira pessoa do presente do indicativo: ele produz/praz/etc. Estas formas verbais dam-se na Galiza? Acontece o mesmo com querer e valer (ele quer/val)?

Ivám

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Conforme o Guia Prático de Verbos Galegos Conjugados da Comissom Lingüística da AGAL, a terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos findos em -azer e -uzir perde, com efeito, a vogal temática (jazer > jaz, conduzir > conduz), embora a conservem quando seguidos do pronome de complemento direto o, a, os, as (conduze-o(s), conduze-a(s)). É verdade que no galego espontáneo contemporáneo nom se registam estas formas, mas tal tem ficado a dever-se à postergaçom sociocultural que o galego padece desde o século XVI (início dos Séculos Obscuros), o que nuns casos determinou a erosom de unidades lexicais de cariz formal já existentes na fase medieval (como jazer > jaz) e, noutros, a estagnaçom e suplência castelhanizante (nunca chegárom a cristalizar de forma autónoma na Galiza conjugaçons de verbos «modernos» como os findos em -duzir: aduzir, conduzir, produzir, etc.).

Quanto aos verbos querer e valer, diga-se que as formas patrocinadas pola Comissom Lingüística da AGAL para a terceira pessoa do singular do presente do indicativo som, respetivamente, quer e vale. No galego espontáneo contemporáneo, as formas quer e val estám registadas, com efeito, em diversos pontos da geografia galega.

tags: quer, val, vale
Categoria(s): Morfossintaxe
Chuza!

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 19 >>

    O Cosultório Lingüístico é um serviço da CL-AGAL para o povo galego, com o intuito de melhorar o conhecimento das normas prescritas por esta instituiçom, e dessa maneira ajudar a melhorar a qualidade da língua de todos/as as/os galegos/as.

    Busca

    Ligaçons:

    • Comissom Lingüística
    • AGAL
blogging tool