Novembro

    Recomendaçons

    Revista Nº 15

    Dicionário e-Estraviz

    Pesquisa no e-Estraviz


    Busca

Crónica da jornada anti-tourada em Sárria.

Crónica da jornada anti-tourada em Sárria.

30-06-09

Alguns dirám que foi um éxito a organizaçom das touradas em Sárria no dia de ontem, que já há umha grande tradiçom taurina na vila,etc. Nós só podemos estar satisfeitos por continuar coa tradiçom anti-taurina da vila, por juntar a mais de cem activistas diante da praça colocada na Outarela e sobretodo por lograr conscienciar a muitas sarrianas, especialmente entre a mocidade, da barbarie da sua "festa nacional".

Continua:

Arredor das quatro fomos chegando os activistas anti-taurinos a diante da praça móvil, sendo muita a mocidade de Sárria que participou e bastante gente chegada de Lugo, mas houvo também activistas de Vigo, Compostela, Ourense,etc. Pronto figemos um "paseillo" para os "espectadores=torturadores" que se iam achegando a praça. Entre as consignas "por umha Sárria civilizada, por umha Sárria livre de touradas", "Galiza ceive, livre de touradas", "esta espanholada é umha salvajada", "a tortura, nem arte nem cultura" ou "há que ser pailám, ir aos touros nas festas de sam Joám".
O ambente estava bastante dividido nas portas da praça, muita da gente que foi a tourada pagando 30 euros, era de fora, de feito os organizadores fletavam auto-carros a quem vende-se umha quantidade de entradas mínima. Muitos dos espectadores acederom ao recinto com menores, algo que além de ser bastante pouco educativo, é ilegal. Sobre as seis e média entravam os toureiros, mas a sua baixada da carrinha, o que lhes agardava nom eram aplausos, senom berros de assassinos, dumha morea de gente que se lançou sobre eles. A corrida começou com mais de média hora de demora. Mentres os espectadores aplaudiam dentro a "fazanha" de matar um animal indefenso, fora tinhamos que ver como a grua do camiom recolhia os cadaveres desta festa sinistra e alheia ao nosso povo. A mostra do tipo de empresários que organizavam esta tourada está nas declaraçons de Juan Santos, o empresário que leva trinta anos traendo touradas à vila: "Estos son los de siempre, los mismos que defienden que aborten niñas de 16 años".

Os actuais responsáveis municipais (PSdeG-BNG) negarom-se há 12 meses, ao igual que se negam este ano, a pagar as dividas que deixa em Sárria o "espectáculo"taurino, tradicional em terras espanholas e ilegal em vários Estados da Uniom Europeia. Daquelas nom houvo quem financiasse os matarifes en traxe de luzes.

Mas Ramón Álvarez, do hotel Alfonso IX; José Luis García, da cafetaria Santiago; José Manuel Fontal, do hotel Roma; e Juan Luis Díaz, da Casa de Díaz de Samos, decidirom encargar-se este ano de que a situaçom nom se volvesse repetir, e encargarom-se da organizaçom da corrida.

Contudo a responsabilidade dos representantes políticos de Sárria é mais da que semelha. O alcalde Claudio Garrido (PSOE) e mais o presidente da comissom de festas Marcos Balboa, acompanharom a estes empresários parabenizando a iniciativa como "muito positiva" para a vila. De feito o alcalde estivo no palco presidencial da praça de touros o domingo. O concelheiro de cultura, Xermán Arias (BNG), indicou que se tratava dumha iniciativa privada e que eles nada podiam fazer por proibi-la. No entanto som já 56 concelhos no estado espanhol onde fôrom proibidas as touradas, rescentemente Viana do Castelo foi o primeiro concelho de Portugal em proibi-las. Estamos falando de que mais dum 80% dos galegos se amossam contrários às touradas e contudo estas continuam e em concelhos como Corunha ou Ponte Vedra financiadas com dinheiro público.

Aliás as corridas dam perdas económicas o qual foi em parte o argumento para deixar de apoia-las por parte dalguns Concelhos, entre eles o de Sárria. Finalmente a corrida de Sárria foi um fracaso, segundo recolhe a agência EFE, só chegarom a ocupar um 55% da entrada, umhas 2200 pessoas, dum aforo de 4000.

Nós seguiremos a organizar a luita anti-touradas para que em 2010 Sárria nom tenha que sofrer mais umha tourada, pagada ou nom, com dinheiro público. Já no domingo estivemos a recolher sinaturas para declarar o concelho livre de touradas.

Sárria livre de touradas!

Escrito às 12:01:03 nas castegorias: actividades
por SCMadiaLeva Email , 646 palavras, 1042 leituras   Portuguese (PT)   Chuza!

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

Sem feedback para este post ainda

Deixe o seu comentário


Seu endereço de e-mail não será mostrado no site.

Sua URL será exibida.
(Quebras de linha se tornam <br />)
(Nome, e-mail & website)
(Permitir que usuários o contatem através de um formulário (seu e-mail não será exibido.))
    contador de visitas
    A Sociedade Cultural Mádia leva! é um projecto comprometido com a lingua e a cultura galega, assim mesmo também trabalhamos por impulsionar a organizaçom do povo, a democracia participativa, a defesa da Terra e a luita pela autodeterminaçom da GALIZA.
    madialeva.gz@gmail.com
    Rua Serra de Ancares 18 rés-do-chao CIF:G-27360825

    Ligações

    Colectivos Lugo
    Participamos em
    Informaçom comunitária
    Sociedades
      Outros colectivos
powered by b2evolution free blog software